Cultura francesa

Eu tenho aprendido que é perigoso se discutir sobre cultura. Às vezes uma pessoa pode ser culta aos olhos de um e bitolada ou fresca aos olhos de outros. Parei para pensar muito nisso num curso de francês que fiz esse ano no Wizard. Normalmente quem faz francês está interessado na cultura francesa. Eu não estava, mas não tem muito como desassociar a língua da cultura.

Passei um semestre ouvindo sobre tipos de queijo, vinhos, comidas e músicas da região e fiquei surpreso em ver o quão pouco eu sabia sobre a cultura local. Eu que mal vejo a diferença entre uma ricota e um queijo minas ou um vinho branco e um proseco fiquei surpreso com o que vi. Um novo mundo, onde mesmo com meu 2º grau e faculdade eu era ignorante.

Essa experiência me fez imaginar no que mais eu sou ignorante e no como isso é freqüente. Tudo isso só me lembrou o quanto o preconceito é algo tênue, relativo e de certa forma invisível.

Um comentário:

Mary disse...

Eu entendo este lance de ignorância. Qdo a gente aprende mto sobre certas coisas, seja meteorologia ou francês, a gente acaba sendo reconhecido como uma pessoa "sinistra" naquilo, mas esquece que o mundo não é feito só do que a gente sabe. Já cansei de ver gente sendo arrogante porque com o perdão da palavra, se acha foda. Nada como ser humilde e aprender. Sempre. Ninguém sabe td no final das contas...