O que os usuários procuram sobre meteorologia na internet?

Para quem não sabe, o Google Trends é uma ferramenta interessante que analisa o banco de dados de busca do Google e retorna estatísticas a respeito de uma palavra chave. Com isso é possível saber se houve ou não um aumento de procura por uma determinada informação e tentar entender o porquê.

Resolvi checar como andam as buscas por páginas e notícias relacionadas a meteorologia no Brasil e no mundo. Escolhi cinco palavras chave e eis o resultado:


O resultado tem 3 partes: um gráfico de buscas de sites (parte de cima), outro de notícias e uma espécie de ranking detalhado de quais regiões e cidades mais buscaram os termos. Solicitei o resultado para todo o Brasil e por todo o período disponível.

A primeira constatação é a maior quantidade de buscas por "Previsão do tempo" do que por "Meteorologia" no gráfico de cima. Apesar disso parecer meio óbvio, não acontece quando pedimos o gráfico para o mundo todo (como na figura abaixo). Aqui pode-se ver que em Portugal usa-se mais o termo "Meteorologia" do que "Previsão do tempo", o contrário do Brasil!


Outra coisa interessante é como a palavra chave "Climatempo" se destaca das demais, só perdendo para a própria "Previsão do tempo". Fazendo uma análise apenas no ano de 2007 é possível ver o quanto a empresa vinculou bem seu nome ao serviço (próxima figura). Acompanhe como as curvas andam semelhantes. É o efeito Gillette!


Enquanto isso o CPTEC/INPE, até por ser uma instituição de pesquisa, está diretamente vinculado ao termo "Meteorologia", como mostra a figura seguinte.


Mais outra coisa que notei no primeiro gráfico foi como o termo "Mudanças climáticas" tinha ocorrência na busca de notícias mas isso não se revertia em buscas por páginas. Depois de quebrar um pouco a cabeça, vi que a mídia usava o termo "Mudanças climáticas", mas o jargão popular era "Aquecimento global". Na figura abaixo dá para ver o quanto o segundo termo foi mais popular que o primeiro, mesmo com quase a mesma taxa de busca de notícias.


Detalhe também que a maior parte das buscas por "Mudanças climáticas" veio de Brasília e de Fortaleza, provavelmente devido ao peso do INMET e da FUNCEME na divulgação científica das reuniões climáticas sazonais.

Algo que eu também esperava ver no Google Trends era a mistura entre os termos "Previsão de tempo" e "Clima". No Brasil é costume pensar que ambas se referem a mesma coisa e o gráfico abaixo mostra que o raciocínio procede.


Por último, algo que me chamou a atenção logo naquele primeiro gráfico geral foi a quantidade de buscas provenientes da Região Sul do Brasil. Eu esperaria, por padrão, que o Sudeste ficasse na frente das buscas mas foi vista uma supremacia da região, puxada por Santa Maria (sede da UFSM). Na prática, a barrinha verde de "Previsão do tempo" de RS é maior que a soma de SP e RJ!

Capaz! Essa meteorologia surpreende a gente!

Um comentário:

Mary disse...

Este post ficou muito legal!!! (ainda mais com as figuras) hehe